O Labirinto de Vidro montado na Cinelândia, em frente à Câmara dos Vereadores, vem chamando a atenção dos pedestres que passam pelo local. A obra faz parte do projeto OiR – outras ideias para o Rio – e ficará exposta até o dia 2 de novembro.

No local foi utilizado vidro transparente temperado com 12 mm de espessura. Foram utilizadas placas de diferentes tamanhos para atender ao design estabelecido pela equipe de engenharia americana.  Ele foi projetado pelo artista americano Robert Morris, que revolucionou a arte com sua série de labirintos, fazendo com que o público, geralmente restrito ao papel de observador, participasse do trabalho, movendo-se em uma coreografia estabelecida por ele.

Labirinto de vidro - Foto: Leo Aversa

Instalação foi produzida com placas de vidro transparente temperado.

Os vidros foram fornecidos pela empresa paulista A Baldoíno, que também executou o serviço de transporte e montagem.

Assim como Morris, outros artistas internacionais foram convidados a participar do Oir. Nesta primeira fase do evento, estão expostas obras dos ingleses Andy Goldsworthy (Cais do Porto) e Brian Eno (Arcos da Lapa), do espanhol Jaume Plensa (Enseada de Botafogo), do americano Robert Morris (Cinelândia), do japonês Ryoji Ikeda (Arpoador) e do brasileiro Henrique Oliveira (Parque Madureira). Os trabalhos da fase inicial do projeto são inspirados no tema ‘O Meio’, que, nas palavras do curador Marcello Dantas, tem como foco “o espaço que ocupamos, aquilo que nos une”.

O projeto, cujo nome OiR escrito ao contrário lê-se ‘RiO’, remete à ideia de pensar na cidade de uma maneira diferente, explorando o olhar estrangeiro sobre a paisagem carioca. Dantas, idealizador e curador da mostra, explica: “A arte pública valoriza o espaço urbano e torna as cidades mais agradáveis ao promover a comunhão entre obra de arte e a paisagem, além de despertar o orgulho das pessoas que nelas vivem. E o Rio, com a sua exuberante geografia, é o mais perfeito cenário para um evento deste tipo”.

O evento começou no dia 7 de setembro e a primeira fase vai até o dia 2 de novembro.  A ideia é fazer a exposição a céu aberto a cada dois anos, até 2016.

Para que o público possa visitar todas as obras que estão expostas na cidade, o evento conta com um ônibus, de capacidade para 44 pessoas, que percorre, durante o fim de semana e feriados, os pontos da mostra. O passeio gratuito conta com exibição de vídeos sobre cada um dos artistas e suas respectivas obras, além de um guia cultural, especializado em artes, que faz comentários sobre elas.

O trajeto dura cerca de três horas, começando na Praia de Botafogo e passando pela Cinelândia, pelo Cais do Porto e pelo Parque Madureira. As inscrições para as excursões, com saídas às 10h e 15h, devem ser feitas no site www.oir.art.br.