Projeto vencedor do concurso do Porto Olímpico | crédito: Arquivo IAB-RJ

As obras ainda não começaram, mas os projetos do Parque e do Porto Olímpico para as Olimpíadas de 2016 já estão prontos. Eles foram selecionados pela comissão julgadora de dois concursos promovidos pela Empresa Olímpica Municipal, em parceria com o Instituto dos Arquitetos do Brasil do Rio de Janeiro (IAB-RJ).
O concurso do Porto Olímpico foi o primeiro a ser lançado. Mais de mil arquitetos do mundo todo, divididos em 83 equipes, participaram deste desafio. Eles tiveram que elaborar um projeto para o Porto, localizado no centro do Rio, onde ficarão as vilas de Mídia e de Árbitros, um centro de convenções, um hotel cinco estrelas e um centro empresarial. O projeto vencedor, eleito por unanimidade pela comissão julgadora, foi coordenado pelo arquiteto e urbanista carioca João Pedro Backheuser. Um acordo feito com a prefeitura determina que, pelo menos, 40% dele deve ser executado, os outros 60% podem ser aproveitados dos outros projetos.
“Nessa fase, os materiais ainda não precisam ser especificados no projeto”, explica a coordenadora do concurso Norma Taulois. No entanto, ela ressalta que pelas projeções feitas pelos arquitetos é possível perceber que o vidro foi bastante usado, principalmente no hotel.
Já Alder Catunda, coordenador do concurso do Parque Olímpico, explica que esse concurso foi mais direcionado para decidir a disposição dos ambientes no espaço proposto, e que, por isso, não foi tão específico como o do Porto. “É possível que depois sejam abertos outros concursos para definir como será o projeto de cada estádio”, conta.
Além de pensar em como será ocupado o espaço, os arquitetos precisaram analisar o que poderá ser desenvolvido nesses ambientes após o evento. Depois da competição esportiva, o Porto Olímpico, por exemplo, será transformado em áreas residenciais, salas comerciais e de serviços. “O concurso aborda esses dois momentos, pois o legado que fica para o país é o grande ganho desses eventos”, explica Alder, que além de ter sido jurado do Porto, foi coordenador do concurso do Parque Olímpico, a segunda competição relacionada às Olimpíadas, também organizada pelo IAB-RJ.

Projeto vencedor do concurso do Parque Olímpico | crédito: Arquivo IAB-RJ

O Parque ficará na Barra da Tijuca e será o coração das Olimpíadas, com uma área de mais de 1 milhão de metros quadrados. Ele abrigará disputas de 15 modalidades olímpicas e 11 paraolímpicas. O local abrigará ainda o Centro Principal de Imprensa e o Centro Internacional de Transmissões.
Durante o concurso, 60 trabalhos foram apresentados, mas o grupo vencedor foi o escritório inglês de arquitetura Aecom, sob o comando do arquiteto Bill Hanway, que também foi responsável pelo Parque Olímpico de Londres nas Olimpíadas de 2012.
Os primeiros colocados de cada concurso ganharam uma quantia em dinheiro que, na verdade, cobrem os gastos de elaboração do projeto com apenas uma pequena margem de lucro para os vencedores. O maior prêmio aos autores dos projetos é a associação de seus nomes a esse evento de projeção mundial.