Nas empresas e no nosso cotidiano, várias vezes caímos no erro tolo da interpretação do pensamento dos outros ou da tentação de adivinhar a vontade alheia. Normalmente fazemos isso sem nenhum dado concreto que embasasse ou fundamentasse essa nossa precipitação. Repare, quantas vezes deixamos de fazer algo por imaginar desagradar a alguém e, logo em seguida descobrimos que, simplesmente, estávamos imaginando errado?
Portanto, antes de interpretar, ouça.
Antes de tentar adivinhar, entenda.
Quando não estiver entendendo peça que o outro se explique melhor. Você pode pensar que está fazendo o melhor para o outro, mas esse outro pode estar esperando outra coisa de você.
Guarde essas dicas e curta a nossa história desse mês.
Era um casamento que naquela manhã completava 30 anos da mais completa felicidade.
A esposa como de costume colocou o café da manhã à mesa e passou a servir ao marido. Numa rotina que se repetia há tantos anos, passou manteiga na casca de um pão e no miolo do outro. Entretanto, dessa vez ela se encheu de coragem e, mudando o ritual, entregou a casca do pão ao marido e ficou com o miolo para si.
“Sempre quis comer o miolo, mas amo tanto o meu marido que, durante 30 anos, me contentei só com a casca. Mas hoje, resolvi satisfazer esse meu desejo. Acho justo comer esse miolo pelo menos uma vez na vida” – pensou a mulher.
Para sua surpresa, ao passar o pão com manteiga na casca para o marido, ela viu um grande sorriso de satisfação iluminando o seu rosto e ele lhe disse:
“Muito obrigado por esse presente, meu amor. Durante esses anos todos sempre quis comer a casca do pão, mas como você sempre gostou muito dela, nunca tive coragem de te pedir”. °