Instalação e limpeza dos espelhos
Tratamos, na matéria anterior, sobre cada passo do processo de fabricação do espelho e pudemos observar que as fabricas investem muitos milhares de reais em tecnologia para a sua fabricação o que pode ser traduzido na preocupação com a sua qualidade.
Também tratamos sobre a responsabilidade da indústria processadora em garantir a qualidade do produto que recebeu, laborando-o, dentro do mais alto padrão de qualidade, aplicando regras bem simples que são descritas na norma ABNT NBR 15128.
No artigo deste mês, vamos tratar, com bastante detalhe, sobre os passos que devem ser seguidos durante a instalação do espelho, sendo essa etapa a que garantirá todo o cuidado, em termos de qualidade, que ele recebeu até este ponto.
1. O projeto de instalação
• O espelho deve garantir condições mínimas de resistência mecânica e segurança;
• O espelho se comporta como um vidro comum e portanto, para essa etapa deve-se levar em consideração, também, a norma técnica ABNT NBR 7199;
• Se possuir bordas expostas, o espelho deve ser lapidado ou filetado;
• Entre o espelho e o substrato deve possuir uma circulação de ar com folga mínima de 03 mm;
• Entre 2 espelhos, deve existir um espaçamento/folga de no mínimo 01 mm;
• Todo material de montagem não deve ser agressivo ao espelho;
• A superfície de aplicação do espelho de estar limpa e isenta de produtos alcalinos, ácidos ou outros materiais agressivos;
• Os adesivos não devem ser agressivos ao espelho;
• Não se recomenda iluminação tipo spot direcionada diretamente;
• Espelhos instalados em saunas, banheiros, piscinas em áreas de grande umidade ou atmosfera corrosiva são mais propensos a oxidação;
• Espelhos com mais de 1m² não devem ser apoiados pela borda;
• Quando o espelho for adesivado deve-se assegurar a planicidade do substrato (parede);
• Peças de grandes dimensões devem ser mais espessas;

2. Substrato
• Deve ser plano a fim de não permitir distorção;
• Deve ser isolado térmicamente quando necessário;
• Deve ter resistência suficiente para a fixação do espelho;
• Recomenda-se cura mínima da parede de pelo menos 2 semanas;
• Não instalar espelhos sobre materiais que absorvem umidade: madeira, cortiça, flanela, tapete, jornal, saco de batata;
• Se utilizar madeira como substrato, recomenda-se MDF (que não absorva umidade);

3. Cola de sapateiro
• Nunca utilizar cola de sapateiro! Cola de sapateiro possui solventes orgânicos que atacam as tintas protetoras do espelho e expões a as suas camadas de prata e essas, quando expostas, se tornam vulneráveis à umidade do ar ambiente e as oxida. A oxidação da prata é percebida na forma das manchas pretas.

4. Instalação
Instalação química
• É a mais crítica para o espelho;
• Todo o adesivo deve ser aplicado na vertical permitindo um espaçamento mínimo de 3 mm (não aplicar em bolota);
• Consultar o fabricante do adesivo quanto a quantidade, a largura, a distância dos filetes, a necessidade de calços e espaçadores.

Instalações químicas não permitidas
• Colas com solventes orgânicos ou componentes ácidos (cola de sapateiro);
•Fitas dupla face com solventes orgânicos;
•Adesivos não elastoméricos como cola branca, epoxi e cianoacrilíco (superbonder);
• Silicone de cura acética.

Instalações químicas permitidas
• Silicone de cura neutra base alcoxi (Silicone neutro – Dow Corning 791);
• Adesivo elastomérico base água;
• Fita dupla face isenta de solventes orgânicos (Fita 3M -Scotch Mounth 4008 );
• Mista (dupla face isenta de solvente e silicone de cura neutra base alcoxi, ou adesivo elastomérico base água).

Instalação mecânica
• Aparafusamento;
• Molduras;
• Presilhas ou garras;
• Botão francês.
• Verificar se as bordas estão bem assentadas na moldura (mínimo 5mm);
• Procure trabalhar com molduras que não absorvam umidade;
• Procure isolar a superfície do espelho do contato direto com a moldura principalmente se esta for metálica;
•    Não é permitido o contato entre a peça de espelho e elementos de moldura que possam gerar danos ao espelho (prego, rebites e outros);
•    Em locais aonde existe a possibilidade de acumulo de umidade entre a moldura e o espelho, os perfis horizontais da moldura devem ser furados para permitir a circulação de ar;

5. Cuidados e limpeza dos espelhos
Esse tópico é muito importante e deve ser retransmitido ao consumidor final. Muitas vezes a qualidade do espelho foi assegura em todas as suas etapas, inclusive na instalação, mas o cliente, por não ter sido informado que ele, também, tem a sua cota de participação, no que se refere a manutenção da qualidade do seu produto, acaba por cometer alguns erros que implicam no aparecimento de manchas e, ainda, por desconhecerem os cuidados adequados que deveriam tomar, acionam o seu fornecedor e lhe atribuem a culpa por tais resultados.

Estão elencados, abaixo, alguns dois principais cuidados que devem ser praticados para a manutenção e limpeza dos espelhos:

•    Limpe o espelho com água morna e pano úmido;
•    Nunca borrife nenhum produto diretamente sobre o espelho;
•    Não utilize produtos abrasivos (palhas de aço, sabões abrasivos);
•    O álcool é permitido desde que aplicado no pano e retirado após aplicação;
•    Nunca utilize produtos químicos que contenham ácidos ou amônia;
•    Seque ou permita a secagem do espelho sempre que possível;
•    Um ambiente ventilado inibe a condensação da umidade.

A minha sugestão e que essas informações sejam lidas e entregues para os clientes, após a instalação do produto e que seja reforçada a importância de segui-las, dessa forma, os dos reflexos observada no espelho, será o de muito trabalho e cuidado que foram empregados durante todas as suas etapas, desde a sua fabricação até a instalação.