No artigo deste mês, vamos falar sobre o primeiro produto produzido a partir do vidro: o espelho.

Primeiro vamos conhecer as etapas do processo de fabricação do espelho:

1. Primeiro, o vidro passa por uma lavagem só com água para tirar os resíduos.
2. Em outras máquinas, há dezenas de escovas e esponjas circulares. A primeira provoca micro riscos, necessários para a aderência da prata no vidro. E a segunda faz uma limpeza profunda.
3. Depois, só se usa água desmineralizada, que quer dizer livre de sais minerais. Esse tipo de água evita acúmulo de impureza e atrito delas com o vidro.
4. Chegou a hora de preparar a superfície da chapa.
5. Primeiro, é usado o cloreto de estanho que serve para criar aderência na chapa.
6. Como elas são muito grandes, uma máquina faz a movimentação colocando a chapa na esteira. Aí, começa a fabricação do espelho.
7. Primeiro, o vidro passa por uma lavagem só com água para tirar os resíduos.
8. Em outras máquinas, há dezenas de escovas e esponjas circulares. A primeira provoca micro riscos, necessários para a aderência da prata no vidro. E a segunda faz uma limpeza profunda.
9. Depois, só se usa água desmineralizada, que quer dizer livre de sais minerais. Esse tipo de água evita acúmulo de impureza e atrito delas com o vidro.
10. Chegou a hora de preparar a superfície da chapa.
11. Primeiro, é usado o cloreto de estanho que serve para criar aderência na chapa. Funciona como uma camada de cola inicial para que a prata possa se fixar no vidro depois.
12. Aí, é feita outra lavagem profunda.
13. Agora, é aplicada uma camada de cloreto de paládio para aumentar ainda mais a capacidade de aderência do vidro, como se fosse uma segunda camada de cola.
14. Após, é feita mais uma lavagem com água desmineralizada.
15. As lavagens são fundamentais porque os produtos químicos em contato com a prata podem manchar a peça.
16. Finalmente, chega a hora da aplicação da prata metálica, formada por reações químicas do nitrato de prata.
17. O processo é controlado por computador. Cada metro quadrado deve receber 900 miligramas do metal. É essa camada de prata metálica que faz do vidro um espelho.
18. Para proteção da prata é aplicada ainda uma solução com substâncias químicas.
19. O vidro passa por mais uma lavagem e vai para a secagem nessa máquina. Qualquer pingo d’água pode comprometer o espelho. Por isso, a secagem é feita com raios infravermelhos e temperatura de 80°C.
20. Chega o momento da primeira camada de tinta que é feita sobre a prata. A tinta protege contra a corrosão.
21. Por garantia, o vidro ainda recebe uma segunda camada de tinta. A cor não importa, é opção do fabricante.
22. A chapa seca no forno a gás com queimadores de raios infravermelhos e temperatura de 150°C.
23. Agora, é feito um resfriamento na peça.
24. Ela ainda vai receber outra camada de resina para garantir proteção total ao espelho.
25. Depois, mais um resfriamento, outra lavagem e o espelho está pronto.
(Fonte: Portal Setor Vidreiro)
Espelho produzido! Agora a sua empresa faz o pedido de compra ao produtor, o espelho é expedido e entregue na sua empresa para ser processado.
Agora você é o responsável por garantir a qualidade do espelho que lhe foi entregue e, o instalador, também, terá a sua participação no processo de manutenção da qualidade do produto. Mas como? O que você deve fazer para assegurar a qualidade do espelho recebido e reduzir os riscos do surgimento de manchas após a sua instalação?
Mas vale ressaltar que muitos elementos desse material são baseados na norma técnica de beneficiamento e instalação de espelhos de prata. Isso mesmo! Existe uma norma técnica que descreve as boas práticas para trabalhar com espelhos: a NBR 15.198 – Espelhos de prata Beneficiamento e instalação. E se existe uma NBR, ela deve ser conhecida e seguida, pois o código de defesa do consumidor estabelece no seu artigo 39, que é vedado ao fornecedor de produtos ou serviços:
VIII – colocar, no mercado de consumo, qualquer produto ou serviço em desacordo com as normas expedidas pelos órgãos oficiais competentes ou, se normas específicas não existirem, pela Associação Brasileira de Normas Técnicas ou outra entidade credenciada pelo Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro).
Com isso, há a obrigação legal de conhecer e aplicar as especificações técnicas que constam nas normas técnicas, a fim de proteger o consumidor final e, também, a sua empresa caso ela seja acionada, judicialmente, por algum cliente que venha a questionar os seus serviços e/ou produtos.
Tratarei sobre o tema Normas Técnicas, no futuro, em um artigo totalmente dedicado ao assunto.
Vou, a partir deste momento, discorrer sobre os aspectos mais críticos, no que tange ao beneficiamento e instalação do espelho de prata, apresentando-lhes as soluções técnicas que estão descritas na NBR 15.128.

Recebimento
• Examine as peças de espelhos quanto a riscos, trincas e manchas;
• Em peças embaladas, verifique a presença de umidade, se esta for presente, desembale-as o mais rápido possível;
• Guarde o documento fiscal, ele é essencial para a organização do negócio, rastreabilidade e garantia.

Manuseio
• Utilizar sempre EPI´s (Equipamentos de proteção individual), sonde ele: óculos, botina com bico de aço, mangotes e luvas;
• As técnicas de manuseio não podem propiciar a ocorrência de danos a superfície e bordas do espelho, tais como riscos e trincas;
• O equipamento de manuseio deve estar dimensionado para tal tarefa;
• Utilize sempre luvas limpas ao manusear o espelho.

Rastreabilidade
Cada peça beneficiada deve ser identificada da seguinte forma:
• tipo de espelho;
• número do lote do fabricante;
• identificação do beneficiador;
• data do beneficiamento;
• identificação do instalador;
• data da instalação.

Ambiente
• O ambiente deve estar limpo e sem sujeiras como pó e cacos de vidro, óleos e graxas (inclusive solventes);
• Os profissionais devem estar atentos quanto as diferenças no trabalho com o espelho em relação aos demais produtos.

Corte
• Use sempre EPI´s;
• A mesa de corte deve ser plana, limpa, macia, isenta de fragmentos de vidro ou mesmo fragmentos sólidos e preferencialmente com colchão de ar;
• Não utilize querosene ou óleo diesel no corte do espelho;
• Corte o espelho sempre na face vidro;
• Efetue a manutenção ou mesmo a troca da ferramenta de corte quando necessário;
• Após processadas as peças devem ser lavadas e enxugadas.

Furos e recortes
• Use sempre EPI´s;
• Os furos devem ser escarificados;
• Os recortes devem ser filetados;
• Prefira o processo refrigerado ao processo a seco;
• Controle a temperatura do processo para que não ultrapasse 150 ºC;
• Controle o pH do líquido refrigerante entre 7 e 10;
• Verifique a presença de partículas sólidas nos apoios das mesas;
• Após o processo as peças devem ser lavadas e enxugadas.

Na próxima edição falaremos sobre a Filetagem., lapidação e biselamento, armazenamento e transporte.
Sucesso a todos e até a próxima.