Sala Design

A designer de interiores Cláudia Bergamasco costuma trabalhar com vidros, espelhos e madeiras, os quais, segundo ela, são materiais que dão leveza aos ambientes. Além disso, a designer considera o vidro um material extremamente eclético, que pode ser usado em uma janela simples, ou para revestir bancadas, paredes e até armários de cozinha.
Recentemente, ela foi contratada por uma família de Jundiaí (SP) para reformar a sala de jantar.  A casa fica no bairro Jardim das Samambaias e possui bastante vidro na fachada, o que ajuda na integração do interior com os jardins.  Na sala de jantar, por exemplo, duas das paredes possuem caixilharia de alumínio com vidro comum, de 6 mm de espessura.
Em uma das paredes, os vidros revestem quase toda a parede lateral, que tem 3 m de comprimento x 2,15 m de altura. O janelão é formado por três placas de 0,88 cm de largura x 2,15 m de altura. “Nessa, os vidros são fixos, para não haver ventilação cruzada”, conta Cláudia. Já na outra parede, a janela tem 2,15 m de altura x 1,95 m de largura. Essa janela é composta por duas placas de vidro que correm para os dois lados do caixilho. As peças têm 0,85 cm de largura x 2,15 m de altura.
Apesar da visível beleza do imóvel, o processo de construção não foi acompanhado por um projeto de interiores, e, quando a família se mudou para a casa, continuaram usando os móveis que tinham no apartamento de São Paulo. “Nada combinava com nada e, principalmente, não havia ergonomia”, relembra a designer.
Sala DesignOs proprietários queriam que a sala de jantar, de 10 m² integrados à cozinha, fosse mais acolhedora ressaltando o verde do jardim e amenizando o branco das paredes, piso e teto. Assim, Cláudia optou por revestir uma das paredes com madeira entrecortada com espelhos. Como os clientes não queriam comer olhando para seus reflexos, a designer optou por posicionar a primeira faixa de espelho 50 cm acima do bufê, e a segunda, 20 cm acima da primeira. “O resultado é que os espelhos refletem o belo lustre pendente bem acima da mesa retangular, também desenhada por mim, e uma parte da cozinha, sem mostrar quando a ela está em uso ou bagunçada”, constata a designer.
O espelho tem 3 mm de espessura e foi colado na parede. “O interessante é que não há emendas no espelho. É uma placa contínua de 3,10 m de comprimento por 0,30 cm de largura”, conta Cláudia.
Na mesma parede, de 3,10 m de comprimento com pé direito de 2,80 m, ainda foi aplicada peroba de demolição. “A parede restante eu pintei com um tom de cereja fechado, o que fez com que a sala se tornasse ainda mais aconchegante”, a designer ainda explica que as cores quentes também ajudam a abrir o apetite e por isso combinam com as áreas de refeição. Apesar de cada projeto ter uma especificidade singular, Cláudia Bergamasco afirma que sempre que pode usa vidros, madeiras e espelhos em suas composições. “Adoro vidro. Adoro espelhos. E amo madeiras”, revela a designer. °