O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior iniciou, no mês de julho, uma investigação para averiguar a existência de dumping nas exportações da República Popular da China, Egito, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos da América e México, para o Brasil.

É chamada de dumping a prática comercial que consiste em uma ou mais empresas de um país venderem seus produtos, mercadorias ou serviços por preços extraordinariamente abaixo de seu valor justo para outro país (preço que geralmente se considera menor do que se cobra pelo produto dentro do país exportador). Trata-se de uma prática temporária com o objetivo de prejudicar e eliminar os fabricantes de produtos similares concorrentes no local, passando a dominar tal mercado.

A petição para início das investigações foi encaminhada pela Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro (Abividro) em janeiro deste ano, em nome das fabricantes de vidro float Guardian e Cebrace. Será analisada, entretanto, a existência dessa prática desde outubro de 2011.

Tabela
Acompanhe, na tabela A, quanto cada país cobra pela tonelada do vidro exportado para o Brasil e qual é o preço que normalmente pratica em seu próprio país.

Somente para facilitarmos a compreensão de tais preços, a Revista Sincavidro considerou a hipótese de todos os vidros exportados terem a espessura de 10 mm. Sabendo-se que uma tonelada nessa espessura é equivalente a 40 metros quadrados, dividindo-se por 40 teríamos os seguintes valores cobrados por metro quadrado. Confira na tabela B.

O processo atualmente está aguardando a defesa dos países acusados dessa prática desleal, que, ser for comprovada, acarretará em punições às empresas exportadoras.