Cobertura do terminal alvorada para a Cidade das Artes.

Nos últimos anos, as coberturas de vidro passaram a ser usadas com mais frequência nos empreendimentos, tanto comerciais quanto residenciais. Isso porque as novas tecnologias têm possibilitado aos arquitetos ousar mais em seus projetos, e o vidro está sendo cada vez mais valorizado por conta da preocupação constante com a beleza dos edifícios.

A cobertura de vidro pode ser aplicada em qualquer situação onde há a necessidade de integrar o interior com o meio externo e garantir a entrada de luz. Mas, como se trata de local de circulação de pessoas, é preciso uma proteção contra calor, chuva e mau tempo.

Hoje, além de serem muito usadas em obras residenciais, as coberturas de vidro são destaques em empreendimentos comerciais, como os shopping centers.

Arquitetura inovadora do condomínio Le Parc.

Thiago Nascimento, responsável pelo marketing do Grupo Paris, explica que a empresa costuma usar vidros refletivos nas obras de coberturas por favorecerem a retenção de calor. Mas também podem ser usados vidros laminados e laminados temperados, dependendo da situação, já que estes últimos dão mais segurança ao ambiente.

Recentemente, o Grupo Paris fez a cobertura da passagem do terminal alvorada para a Cidade das Artes, na Barra da Tijuca. A cobertura foi uma obra arquitetônica que permitiu que a luminosidade natural entrasse e protegesse o público da chuva no acesso subterrâneo à Cidade das Artes pelo terminal alvorada, próximo aos pontos dos novos BRTs. Foram utilizados 500 m² de vidro laminado refletivo bronze de 12 mm e alumínio. A obra foi feita em 60 dias, contando a fabricação do vidro e alumínio, e a instalação.

Outra obra que chamou a atenção por conta da arquitetura inovadora foi no condomínio Le Parc, também na Barra da Tijuca. O empreendimento é de 2007, quando o Grupo Paris ficou responsável por fazer a cobertura do clube do condomínio – que se destacou por ter sido inspirada na pirâmide do museu do Louvre, em Paris (França). A cobertura usou vidro laminado verde de 8 mm.

Cobertura do Rio mar Shopping usou 7 mil m² de vidro duplo insulado e laminado.

 

Os preços e o tempo de instalação das coberturas de vidro variam de acordo com a estrutura da obra e o tipo de vidro. Heloísa Mathias, gerente do departamento de orçamentos e obras da Hedron, explica que a empresa costuma usar vidro duplo composto por dois laminados a partir de 10 mm nas instalações para coberturas. Isso porque a norma da ABNT NBR 7199 é clara em afirmar que em coberturas e claraboias de vidros só podem ser utilizados os vidros de segurança laminados ou aramados, pois se houver quebra do vidro a peça se mantém presa ao caixilho até que seja providenciada sua substituição.

Entre 2012 e no primeiro semestre de 2013 a empresa fez 16 mil m² de cobertura de vidro. As duas obras mais recentes são o Shopping Pátio Batel e o RioMar Shopping – ambas com vidros insulados da família CoolLite KNT, da Cebrace, com beneficiamento da Glassec Viracon.

O Shopping Pátio Batel está sendo construído em Curitiba (PR) e a inauguração está prevista para setembro. O projeto prevê 9 mil m² de cobertura de vidro, além dos fechamentos laterais com vidro duplo insulado.

Já o RioMar Shopping  está localizado em Recife (PE). O empreendimento possui 7 mil m² de cobertura de vidro duplo insulado 32 mm e vidro laminado 14 mm. A Hedron trabalhou na obra por 18 meses, e, além da cobertura, a empresa ficou responsável por 11 mil m² de instalações em vidro (aquários, fachadas, guarda-corpos), 19 mil m² de revestimento em ACM (pilares, fachadas, revestimento de estruturas de marquises, brises, coroamento de cobertura etc.) e 7 mil m² de brises fixos no deck park.

No Rio de Janeiro, a empresa fez recentemente a sede da Abengoa Brasil, na Barra da Tijuca, onde foram instaladas claraboias de iluminação com vidro laminado incolor 10 mm e utilização do sistema Hedron Tak (especialmente desenvolvido para cobertura de vidro).