De 26 de novembro a 7 de dezembro, foi realizado o Casa Office, em São Paulo, pelos mesmos organizadores da tradicional mostra Casa Cor. O evento mostrou muita tecnologia e muitos vidros e espelhos aplicados em dez grandes espaços corporativos contemporâneos, criados por treze arquitetos de renome.
A mostra enfatizou que, no século 21, as pessoas trabalham mais, portanto passam mais tempo no escritório e necessitam de um momento para relaxar e manter a produtividade em alta. A preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade também se mostraram pontos altos nos projetos apresentados. Confira:

Casa Aberta
A combinação do aconchego doméstico com a eficiência de um ambiente profissional. Essa foi a proposta do ambiente criado pela arquiteta Betty Birger. Projetado de forma flexível , possui um quarto-caixa com rodas que pode mudar de lugar permitindo ampliação ou redução da área de escritórios, conforme a conveniência. Um grande espelho foi posicionado na área doméstica, onde foi instalada uma pia.

 

Bank
Muitas divisórias de vidros temperados, dotadas de películas na tonalidade azul celeste, definiram os diversos setores internos, imprimiram movimento ao espaço e garantiram a unidade visual na área de 568 m², projetada pela arquiteta Fernanda Marques. Ainda preservaram o funcionamento privado dos diversos departamentos. Ao lançar mão de materiais nobres, como o vidro, a designer agregou novos valores e saiu do convencional.

 

AW Connect
O escritório projetado pelos arquitetos Sérgio Athié e Ivo Wohnrath ocupou uma área de 600 m² (a maior da exposição) e adotou um layout livre de divisórias. Embora os espaços sejam integrados, a privacidade foi assegurada em salas especiais para reuniões.
O vidro foi adotado de várias formas nesse ambiente, como peças pintadas de branco as quais servem como quadro de anotações em paredes ou até mesmo dispostas nos móveis. Bem como a adoção destas para disfarçar a parte de trás de um grande monitor posicionado sobre algumas das mesas.

 

Espaço Camaleão
Em 410 m², a arquiteta Moema Wertheimer empregou elementos flexíveis, autoportantes, muitas vezes sobre rodas para facilitar a multiplicação de usos. O destaque em vidros foram os espelhos aplicados no teto, na área de passagem dos visitantes.

 

 

Arquitetura Global
Tons de cinza, branco e vermelho misturam-se na área de 210 m², assinada pelo escritório Rocco Vidal e executada pelos arquitetos Douglas Tolaine, Luis Fernando Rocco e Fernando Vidalo. A novidade está na utilização do material de fechamento de tapumes em acabamentos de pisos, forro e paredes. O vidro foi empregado em uma divisória e um grande espelho na área da recepção.

 

Arquitetura de Sabores
No espaço criado por Marcio Mazza, mais uma vez os ambientes dotados de rodas se destacaram. No caso, os ambientes eram cercados de vidros com grandes adesivos de imagens coloridas. O ambiente de 210 m² teve como tema a arte da gastronomia e utilizou cores quentes e vibrantes.

 

 

Concept
Criado pelo arquiteto Carlos Rossi este amplo espaço (185 m²) utiliza mobiliários e acabamentos especiais, obtendo um visual despojado e uma atmosfera intimista e aconchegante. O cenário é humanizado através da utilização de plantas desidratadas, água e cores sóbrias. O vidro de cor bronze da Guardian foi utilizado em divisórias e destacou-se em uma parede que, ao toque de um botão, se tornava opaca, permitindo a projeção de imagens por um Datashow, ou, ao toque do mesmo controle, permitia total visão do ambiente ao lado.